Semana das Crianças no Novo Museu do Pontal

O Museu do Pontal abre ao público no dia 9 de outubro de 2021, e dedica às crianças sua intensa programação neste mês. Confira!

Siga-nos no Instagram e veja outras dicas. @riocomcriancas

Instalado em um terreno de 14 mil metros quadrados, próximo ao Bosque da Barra e ao lado do condomínio Alphaville Residências, o Museu do Pontal possui dez mil metros quadrados de área verde, onde estão plantadas dezenas de milhares de mudas de 73 espécies nativas brasileiras.

Serão apresentados espetáculos de teatro de mamulengos, de palhaços, perna de pau, diversas oficinas, como uma especializada para bebês, e outra com o artista Getúlio Damado, de Santa Teresa, conhecido pelos bondinhos que cria, além de contação de histórias, experiências sensoriais, entre outras atividades.

Referência internacional em arte popular brasileira, com mais de nove mil obras de 300 artistas – o maior acervo do gênero –, e de relevância reconhecida pela Unesco, o Museu do Pontal inaugura sua nova sede com o conjunto de seis exposições “Novos ares: Pontal reinventado”, que mostram a riqueza e a diversidade do Brasil, marcando este importante momento na história do Museu.

Programação:

9 de outubro de 2021

  • 10h – Brincadeiras Musicais, com Bebel Nicioli – Para bebês e crianças até 3 anos, com duração de 1h:

A oficina propõe uma vivência com a criança que a aproxime da grandeza da expressão musical e de suas múltiplas possibilidades. A música oferece elementos que potencializam a sensibilidade, criatividade, imaginação, espontaneidade, expressividade, e a relação da criança com o corpo, com o espaço e com o meio em que vivem, contribuindo também para as suas conquistas cognitivas. As atividades musicais criativas valorizam o brincar na aprendizagem da criança: histórias surgem ludicamente costurando os sons musicais e buscando desenvolver uma escuta sensível aos estímulos que a cercam. A partir da experiência musical, a criança amplia sua percepção sonora, entrando em contato com diversos instrumentos e fontes sonoras, incluindo fontes sonoras vindas da natureza: violão, chocalhos, pandeiro, guizos, caxixis, sinos, xilofone, kalimba, flautas, pios de passarinhos, além de outros objetos sonoros e não-sonoros como berra-boi, reco-reco de sapo, castanholas de bichos, bolas, tecidos etc. As atividades são realizadas para apresentar às crianças uma amostra da multiplicidade e diversidade de linguagens, repertórios e experiências musicais, de forma que possam se envolver criativamente na brincadeira, no prazer da livre expressão, escutando, criando, dançando, tocando, percutindo o corpo e cantando, com uma música em constante processo de invenção.

  • 11h, 14h30 e 16h30 – Visita Musicada pela Arte e Cultura Popular Brasileira, com os arte-educadores Beatriz Bessa e Pedro Cavalcante, com duração de aproximada de 1h30, classificação livre:

As visitas musicadas foram criadas para atender a uma demanda de turistas brasileiros e estrangeiros que querem conhecer mais a arte popular do Brasil. Os roteiros são adaptados às diferentes faixas etárias e alguns temas podem ser priorizados durante a visita, de acordo com a solicitação dos visitantes. São visitas lúdicas que mexem com a memória afetiva dos visitantes. São utilizados diferentes instrumentos musicais que tocam ritmos tipicamente brasileiros como samba, forró, coco, jongo, maracatu, ciranda e capoeira, entre outros, sempre de acordo com o tema abordado no acervo. Além da música, outras linguagens como o teatro de bonecos, o cordel, a “contação” de histórias, desafios, trovas e versos são também utilizadas tornando esta experiência única, dinâmica e participativa. Durante a visita, os participantes são estimulados a refletir sobre a diversidade cultural brasileira, as relações entre o mundo do campo e o das grandes cidades, os processos migratórios, as diferentes profissões, as práticas sociais, as relações familiares, as festividades, aespiritualidade e, ainda, sobre questões próprias ao universo das artes plásticas, os processos criativos dos artistas e os materiais que utilizam para fazer suas esculturas.

  • 14h30 – Oficina Fazer Brinquedos, com Getúlio Damado, criador de maquetes do bondinho de Santa Teresa – A partir de oito anos de idade, vagas ilimitadas:

Na Oficina Fazer Brinquedos com o artista Getúlio Damado, os participantes terão a oportunidade de aprender a fazer esculturas populares como bonecos e pássaros utilizando diversos tipos de sucata (plástico, papel, madeira, eletrônicos e metal).

  • 15h30 – Espetáculo Solo Protocolo, com Ricardo Gadelha – Classificação livre, com duração de 40 minutos.

O espetáculo mescla teatro, palhaçaria, malabares, perna de pau e comédia visual, e é concebido e apresentado por Ricardo Gadelha, o Palhaço Protocolo. Criado a partir de improvisações realizadas no espaço público, no contato direto com a plateia, o espetáculo busca através desta conexão estreita entre o artista e o espectador estabelecer uma atmosfera de jogo, entusiasmo e troca. O Palhaço Protocolo transita entre a ingenuidade e a irreverência, joga com a plateia de maneira aberta e franca, e traz para a cena toda a bagagem de um artista de larga experiência tanto na rua, quanto palcos, praças e hospitais.

Dia 10 de outubro de 2021

  • 10h e às 15h30 – Teatro de Mamulengo com o espetáculo “A Sambada de Simão nas Terras de São Saruê”, de Adiel Luna – Classificação livre, com duração de 1h:

Com manipulação dos mamulengos feitas por Adiel Luna e Ana Rudge, e os músicos Jeferson Leite (rabeca), Débora dos Santos (percussão e voz) e João Aquino (zabumba e voz), o espetáculo conta a história de Simão, que em busca de encontrar o caminho para as terras de São Saruê, passa por vários terreiros da tradição popular, onde desafia e é desafiado em sambas, toadas e loas, por mestres e mestras da cultura popular, enriquecendo a viagem de música, cor e poesia.

  • 11h, 14h30 e 16h30 – Visita Musicadapela Arte e Cultura Popular Brasileira, com os arte-educadores Beatriz Bessa e Pedro Cavalcante, com duração de aproximada de 1h30, classificação livre:

As visitas musicadas foram criadas para atender a uma demanda de turistas brasileiros e estrangeiros que querem conhecer mais a arte popular do Brasil. Os roteiros são adaptados às diferentes faixas etárias e alguns temas podem ser priorizados durante a visita, de acordo com a solicitação dos visitantes. São visitas lúdicas que mexem com a memória afetiva dos visitantes. São utilizados diferentes instrumentos musicais que tocam ritmos tipicamente brasileiros como samba, forró, coco, jongo, maracatu, ciranda e capoeira, entre outros, sempre de acordo com o tema abordado no acervo. Além da música, outras linguagens como o teatro de bonecos, o cordel, a “contação” de histórias, desafios, trovas e versos são também utilizadas tornando esta experiência única, dinâmica e participativa. Durante a visita, os participantes são estimulados a refletir sobre a diversidade cultural brasileira, as relações entre o mundo do campo e o das grandes cidades, os processos migratórios, as diferentes profissões, as práticas sociais, as relações familiares, as festividades, a espiritualidade e, ainda, sobre questões próprias ao universo das artes plásticas, os processos criativos dos artistas e os materiais que utilizam para fazer suas esculturas.

  • 14h30 – Oficina Fazer Brinquedos, com Getúlio Damado, criador de maquetes do bondinho de Santa Teresa – A partir de oito anos de idade, vagas ilimitadas.

Na Oficina Fazer Brinquedos com o artista Getúlio Damado, os participantes terão a oportunidade de aprender a fazer esculturas populares como bonecos e pássaros utilizando diversos tipos de sucata (plástico, papel, madeira, eletrônicos e metal).

SEIS EXPOSIÇÕES INAUGURAIS – “NOVOS ARES: PONTAL REINVENTADO

O conjunto das exposições inaugurais se chama “Novos ares: Pontal reinventado”, marcando este importante momento na história do Museu. São seis exposições, uma de longa duração, e cinco temporárias, que reúnem 700 conjuntos de obras, com um total de cerca de duas mil peças. O Museu do Pontal terá um café/restaurante, uma loja, e uma extensa programação para todos os públicos.

Mais informações:

Entrada gratuita ou contribuição voluntária

Os ingressos devem ser retirados no Sympla

Evento para crianças: Dias 09 e 10 de outubro

Funcionamento do Museu: quinta a domingo das 10h às 18h

Endereço: Avenida Célia Ribeiro da Silva Mendes, 3300 – Barra

(Ao lado do Condomínio Alphaville)

As inscrições devem ser feitas na bilheteria do Museu, e nas atividades com capacidade limitada, o critério será por ordem de chegada.

É obrigatório apresentar comprovante de vacinação contra a COVID – 19

Leia também: Especial Dia das Crianças 2021

Receba as novidades da Semana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *